top of page
Buscar
  • Foto do escritorKleber Del Claro

Os herbívoros podem acionar defesas das plantas para atrair formigas que as protegem? Ecology!


As plantas evoluíram defesas induzíveis que permitem minimizar os custos associados à produção de defesas constitutivas quando os herbívoros não estão presentes. No entanto, como consequência, algumas plantas podem experimentar um período de vulnerabilidade entre os danos e o início da defesa e/ou entre a cessação dos danos e o relaxamento da defesa.

Poucos estudos examinaram a dinâmica temporal na mutualismo protetor induzível entre formigas e plantas com nectários extraflorais (EFNs). Nenhum estudo comparou a inducibilidade dos EFNs em partes vegetativas versus partes reprodutivas ou em resposta a diferentes níveis de danos causados pelos herbívoros. Aqui, desembaraçamos o processo de indução avaliando a produção de néctar extrafloral e a presença de formigas ao longo do tempo, o curso temporal da inducibilidade em diferentes partes da planta e em resposta a diferentes níveis de danos foliares em uma árvore brasileira, Qualea multiflora (Vochysiaceae).

Usando danos simulados em folhas e flores, descobrimos que:


(a) a produção de néctar extrafloral em EFNs foliares e florais, bem como a presença de formigas, exibem um atraso entre o momento do dano e o pico da resposta, seguido por um pico de resposta (geralmente 24 horas após o dano), no qual a defesa permanece em seu nível máximo, depois diminui para os níveis pré-estímulo;

(b) o curso temporal da inducibilidade e o pico de atividade não diferem entre os EFNs localizados em partes vegetativas versus partes reprodutivas, exceto pela concentração de açúcar, que foi maior em EFNs em partes vegetativas; e

(c) o curso temporal da inducibilidade dos EFNs foliares é dependente do nível de danos.


Embora consideradas uma estratégia de economia de custos, as defesas induzíveis podem ser desvantajosas, uma vez que podem deixar as plantas vulneráveis a ataques por períodos prolongados.

Nossos resultados iluminam a dinâmica da resposta induzida e os mecanismos subjacentes que podem mediá-la, fornecendo novas informações sobre as estratégias de defesa empregadas pelas plantas. Palavras-chave: interações planta-herbívoro, nectários extraflorais, resposta induzida, defesa induzida, mutualismo protetor, defesa indireta, defesa de plantas, Qualea multiflora.



Calixto, Eduardo Soares, Del-Claro, Kleber, Lange, Denise, and Bronstein, Judith. 2023. “ Time Course of Inducibility of Indirect Responses in an Ant-Defended Plant.” Ecology e4029. https://doi.org/10.1002/ecy.4029

120 visualizações0 comentário
bottom of page