Buscar
  • Kleber Del Claro

Mães Guerreiras! A luta de uma mãe para salvar seus filhos!

Atualizado: Abr 7



Imagine se você fosse a mãe de uma ninhada de ovos , expostos às intemperies físicas (chuva, sol, frio) e ainda ameaçada por inimigos naturais, como formigas e vespas parasitas (parasitóides). Seria uma vida infernal! Não pior do que controlar filhos durante a pandemia do coronavírus, mas..., assim mesmo muito difícil, pois como vemos nas fotos acima (c,d,e,f), muitos inimigos atacam agressivamente os ovos dos besouros tartarugas.

Mas ainda assim, apesar de tantos inimigos, esses besourinhos lindos são comuns em nossas matas, como as mães conseguem proteger seus filhotes (ovos e larvas)?

Esses besouros, como mostra o estudo de nossos colegas, que aqui reportamos, tem uma carapaça muito dura (élitro) e as fêmeas tem um comportamento de usá-lo como um escudo, barrando os ataques e até mesmo jogando os inimigos fora das plantas.

O conhecimento dessas história começou há mais de três décadas com Fernando Antonio Frieiro-Costa, professor aposentado da Universidade Federal de Lavras, MG, e prossegue até hoje com seus "descendentes".

No estudo mais recente, intitulado: Natural history and population dynamics of the subsocial tortoise beetle Omaspides (Paromaspides) brunneosignata Boheman 1854 (Coleoptera: Chrysomelidae: Cassidinae), e recém publicado na revista do Museu de História Natural de Londres, Journal of Natural History, os colegas Paula Akeho de Albuquerque Gomes, Marcel Gustavo Hermes, Margarete Valverde Macedo e Fernando Antônio Frieiro-Costa*, dicutem que:

"Os insetos herbívoros têm sua densidade limitada por fatores bióticos e abióticos

que influenciam sua sobrevivência. Para besouros tartaruga subsociais

(Chrysomelidae: Cassidinae) pouco se sabe sobre história natural

e quais fatores afetam suas densidades, embora sejam promissores

modelos para estudos ecológicos e evolutivos". Aqui foi mostrado que "o cuidado materno foi fundamental na fase de ovo, pois na ausência da fêmea, todas as desovas foram predadas, principalmente por formigas.

Os imaturos eram predados e / ou parasitados por Hymenoptera

(formigas, vespas) e besouros Coccinellidae". O besourinho tartaruga Omaspides (P.) brunneosignata é uma espécie bivoltina (duas reproduções por ano, abundante durante o calor e meses chuvosos e não sendo observados na estação seca e fria, um padrão semelhante ao de outras cassidinas de montanhas tropicais comuns em áreas de floresta no Brasil.

A defesa promovida pelas mães é fundamental na sobrevivência dos indivíduos, com reflexos claros na preservação da espécie.

Estudos como esse nos trazem muitas informações sobre a evolução dos primordios do cuidado maternal, parental, que são básicos para nossa compreensão da evolução do comportamento social ao longo do tempo.

Parabéns aos nossos colegas e vejam mais em:

* https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/00222933.2020.1833997


Paula Akeho de Albuquerque Gomes, Marcel Gustavo Hermes, Margarete Valverde Macedo & Fernando Antônio Frieiro-Costa(2020)Natural history and population dynamics of the subsocial tortoise beetle Omaspides (Paromaspides) brunneosignata Boheman 1854 (Coleoptera: Chrysomelidae: Cassidinae),Journal of Natural History,54:31-32,1973-1992,DOI: 10.1080/00222933.2020.1833997


Kleber Del Claro

Editor de A Ciência que nós Fazemos

Pesquisador 1 A do CNPq


Veja meus cursos gratuitos de comportamento e ecologia no Youtube!



174 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo