Buscar
  • Kleber Del Claro

Cientistas da UFU indicam que máscaras N95 e Cirúrgicas são indispensáveis aos profissionais.


Em um estudo recém aceito para publicação no Open Journal of Science, os pesquisadores da Universidade Federal de Uberlândia, Mauricio Foschini, Adamo Ferreira Gomes Monte, Ana Caroline Moreira Mendes, Alexandre Maletta, Renata Scarabucci Janones,Carla Denari Giuliani, Bruna Aparecida Rodrigues Duarte & Kleber Del-Claro; buscaram contribuir para um melhor entendimento do real potencial de proteção de máscaras faciais contra agentes biológicos de dispersão aérea, como vírus.


O estudo foi desenvolvido devido à crise nos equipamentos de proteção causada pela pandemia do Covid 19. Pandemias como essa geram a necessidade de racionamento de equipamentos entre profissionais que atuam na área da saúde, com a necessidade de muitos profissionais de saúde usarem até mesmo máscaras caseiras.


Portanto, este foi um estudo comparativo sobre as eficiências relativas de máscaras respiratórias comerciais (máscaras médicas) e caseiras máscaras de tecido.


Os cientistas criaram em laboratório uma linha de aerossol líquido que passava por uma câmara com 6 janelas óticas que permitiam a fixação do tecido ou máscaras no fluxo de aerossol. As medidas de retenção do aerossol foram feitas usando duas técnicas espectroscópicas que tornaram possível relacionar a quantidade de aerossóis com a dispersão da luz.


Os resultados mostraram que tecidos com maior porcentagem de algodão e um

maior número de camadas e tramas mais fechadas provaram ser mais eficientes no bloqueio de aerossóis, no entanto, tecidos sem tratamentos obtiveram resultados muito aquém das reais necessidades de profissionais que atuam na área da saúde, com eficiência abaixo de 75% para aerossóis líquidos entre os tecidos testados.


As máscaras profissionais tipo N95 e as cirúrgicas, são as máscaras realmente seguras.

As máscaras caseiras de algodão retém até 75% dos aerossóis, quando feitas com mais de duas camadas.

O estudo indica que as máscaras caseiras provaram ser eficazes na redução a propagação do vírus entre os cidadãos comuns no passado. Mas a eficácia das máscaras caseiras é muito baixa para ser usada por profissionais de saúde que estão diretamente expostos ao agente biológico. Sendo necessário disponibilizar a esses profissionais máscaras realmente eficientes, profissionais.


Na impossibilidade de usar uma máscara profissional, N95 ou cirúrgica, indicamos a você cidadão comum que use máscaras com mais de duas camadas, tipo "bico de papagaio", que proteja bem seu nariz e boca da entrada indesejada de partículas, tais como aerossóis, gotículas minúsculas dispersas no ar.


O artigo estará disponível em breve, gratuitamente, no site da revista.

https://osjournal.org/ojs/index.php/OSJ/issue/archive


Um Abraço,

Kleber Del Claro

Professor Titular do Instituto de Biologia/UFU

Pesquisador 1 A CNPq

610 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo