Buscar
  • Kleber Del Claro

As Fábricas de Trabalhos Científicos Falsos! Fake Science!

Atualizado: Abr 7





Artigos científicos falsos, impossíveis de replicar, com imprecisões imperdoáveis, com má ciência, replicação de dados, alguns inclusive vão contra o senso comum, infelizmente estão se tornando muito comuns.

Eles são como um câncer na ciência.

Há verdadeiras fábricas de trabalhos falsos que os vendem a cientistas, segundo denuncia a Nature.*


Movidos por ganância, busca incrontrolável de sucesso e projeção pessoal, pressão de seus empregadores, um número já significativo de cientistas vai de má fé ou se deixa levar pelas ofertas de revistas pagas, sem qualidade alguma, sem corpo editorial de respeito.


A Nature dessa semana discute esse assunto declarando que:


"Desde janeiro passado, os periódicos (revistas científicas indexadas, sérias) retrataram pelo menos 370 artigos que foram publicamente vinculados a "fábricas de artigos científicos", e muitas outras retratações (retiradas desses trabalhos) são esperadas.

Os médicos na China são um cliente-alvo específico das fábricas de artigos científicos - há empresas que produzem manuscritos científicos falsos sob encomenda - devido à intensa pressão para publicar, combinada com longas horas de trabalho".


Muitas vezes são copiados trabalhos de autores ocidentais, de universidades de reconhecida competência, modificados e apresentados como se fossem descobertas próprias ou semelhantes de uma outra parte do mundo, à qual temos pouco acesso. Esses fatos não se restringem à China, mas também ao Iran e Rússia, como reporta a Nature* em uma revisão que vale à pena ler.


Grande parte dessa limpeza na identificação da pesquisa ruim, falsa, aconteceu graças a detetives da ciência. Pessoas comprometidas, com formação acadêmica que se dedicam ou são contratados para identificar a má ciência.


Os detetives da ciência estão sinalizando publicamente jornais que compartilham características suspeitamente semelhantes, como um pano de fundo com aparência idêntica de revistas de respeito. O efeito de tal artifício pode ser muito sério, diz a pesquisadora de oncologia molecular Jennifer Byrne, que aponta para estudos suspeitos falsos que ligam genes a determinados tipos de câncer. "Pessoas morrem de câncer - não é um jogo."



Mas há também casos individualizados de pesquisadores que forçam ou maqueiam seus próprios dados e os conseguem publicar em revistas de grande respeito e projeção. Um único autor aumericano, teve 20 de seus trabalhos retirados de revistas importantes entre 2019 e 2020, graças à denúncia de uma de suas alunas, que com a ajuda de um estatístico concluiu que o professor duplicava os próprios dados a fim de obter significância estatística.

Este caso ainda está na justiça, por isso não o nomearemos aqui. Mas há casos assim por todos os cantos, inclusive no Brasil.


Fazer ciência é uma coisa muito séria. Dados errados, mentiras em ciência podem matar, podem causar acidentes graves, podem destruir ecossistemas inteiros.

Por isso a boa ciência é feita em revistas indexadas em plataformas internacionais abertas, que são checadas, que tem corpo editorial reconhecido. Cujos editores e revisores são pessoas renomadas e ligadas a instituições científicas conhecidas, abertas à inspeção. Essas revistas em geral, as boas, estão na Web of Science, Scopus, Scielo, Publons, Researchgate, dentre outras, possuem D.O.I (uma identificação numérica e rastreável) em todos os seus artigos.

Se você é novo em ciência, não aceite ofertas de revistas que se dispõe a publicar seu artigo, por preços módicos (algumas dezenas ou centenas de dólares).

Nenhuma revista ou editora séria bate à sua porta, você é que corre atrás dela.


Entenda uma coisa muito importante, fundamental para o novo cientista.

Em ciência, seu NOME tem valor, um valor científico inestimável.

Todos nós cientistas respeitaremos você e seu trabalho, porque você nunca fez nada errado intensionalmente.

Você, jovem cientista, está em busca de mostrar seu valor.

Mas se você falsear dados, copiar, mentir, tentar enganar em ciência, será descoberto.

A mentira tem pernas curtas e em ciência elas são curtíssimas, pois

todos estão de olho no que você faz.


Leia mais em:

*https://www.nature.com/articles/d41586-021-00733-5?utm_source=Nature+Briefing&utm_campaign=de906afe97-briefing-dy-20210323&utm_medium=email&utm_term=0_c9dfd39373-de906afe97-46217994


Kleber Del-Claro

Editor de A Ciência que nós fazemos -

Professor Titular da Universidade Federal de Uberlândia

Prof. Permanente na PG Entomologia Universidade de São Paulo (FFCLRP).

Pesquisador 1A do CNPq.

Para saber mais veja a sessão Quem Somos!

https://www.cienciaquenosfazemos.org/



1,880 visualizações4 comentários

Posts recentes

Ver tudo