Buscar
  • Por Kleber Del Claro

Limiar de Carbono nos Oceanos - um limite que pode nos levar à extinção!


O aumento nas emissões de gás carbônico (CO²) pode provocar uma grande alteração no ciclo do carbono, com consequências devastadoras. Daniel Rothman, professor de geofísica do Departamento de Terra, Atmosfera e Ciências Planetárias do MIT, descobriu que quando a taxa na qual o dióxido de carbono entra nos oceanos ultrapassa certo limite, que o rompimento desse limiar faz com que a Terra responda com uma cascata descontrolada de feedbacks químicos, levando à acidificação oceânica extrema que amplia drasticamente os efeitos normais das emissões de carbono. Esse reflexo instantâneo causa grandes mudanças na quantidade de carbono contida nos oceanos da Terra. Rothman analisou esses registros geológicos e observou que, nos últimos 540 milhões de anos, a reserva de carbono do oceano mudou abruptamente, dezenas de vezes de uma maneira abrupta. Essa “excitação” do ciclo do carbono ocorreu mais dramaticamente perto do tempo de quatro das cinco grandes extinções em massa na história da Terra. Os cientistas atribuíram vários gatilhos a esses eventos, e eles assumiram que as mudanças no carbono oceânico que se seguiram foram proporcionais ao gatilho inicial. Mas a pesquisa atual indica que independentemente desses gatilhos, o aumento no carbono na atmosfera e nos oceanos, provoca as mudanças globais de qualquer modo.

O que tudo isso tem a ver com o clima atual?

Os oceanos de hoje estão absorvendo carbono em uma ordem de grandeza mais rápida do que o pior caso no registro geológico - a extinção final-Permiana. No passado, erupções vulcânicas ou outros distúrbios levaram dezenas de milhares de anos ou mais para desencadear as grandes perturbações ambientais. Mas, a humanidade está bombeando gás carbônico para atmosfera em quantidades superiores em poucas centenas de anos. Esse aumento moderno do carbono pode ser breve demais para provocar uma ruptura importante?

De acordo com Rothman, hoje estamos "no precipício da excitação" e, se ocorrer, o pico resultante - como evidenciado pela acidificação dos oceanos, haverá uma catástrofe ecológica com extinções em massa, provavelmente semelhante às catástrofes globais do passado. Cono as causadas por grandes meteoros que atingiram o solo.

"Uma vez que estamos no limiar, como chegamos lá pode não importa mais", diz Rothman, que está publicando seus resultados esta semana na revista Proceedings of National Academy of Sciences. "Depois que você supera isso, você está lidando com a forma como a Terra funciona e segue seu próprio caminho.", quanto menor o gatilho, menor o efeito ambiental.

Em outras palavras, se as emissões induzidas pelo homem cruzarem o limiar e continuarem além dele, como prevê Rothman, as consequências poderão ser tão severas quanto o que a Terra experimentou durante suas extinções em massa anteriores.

"É difícil saber como as coisas vão acabar, dado o que está acontecendo hoje", diz Rothman. "Mas provavelmente estamos perto de um limite crítico. Qualquer pico alcançaria seu máximo após cerca de 10.000 anos. Espero que isso nos dê tempo para encontrar uma solução ”.

Esta pesquisa foi apoiada, em parte, pela NASA e pela National Science Foundation.

parte da Entrevista concedida a Jennifer Chu | MIT News Office - veja íntegra em inglês em:

https://www.lifescience.net/news/2590/breaching-a-carbon-threshold-could-lead-to-mass-ex/


47 visualizações
SOBRE NÓS

A Comunidade dos

Cientístas Livre Pensadores

Trabalhando pela divulgação e popularização da Ciência!

LOCALIZAÇÃO

(34) 

38411-212

cienciaqnf@gmail.com

CONECTE-SE
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Google+ Icon
  • Grey Instagram Icon

© Kleber Del Claro & Co. Orgulhosamente criado com Wix.com