Buscar
  • Kleber Del Claro

Elefantes ajudam as florestas a terem árvores maiores e a reduzir o gás carbônico na atmosfera.


Em matéria da New Scientists, de Sam Wong, vemos hoje que os elefantes podem indiretamente ajudar a diminuir o impacto do carbono na atsmosfera.

"Os elefantes causam muito dano às plantas enquanto caminham pela selva, mas essa atividade aumenta a biomassa da floresta, permitindo que ela armazene mais carbono.

Se os elefantes fossem extintos, a quantidade de carbono armazenada nas florestas tropicais da África Central poderia cair 7%, segundo uma nova análise.

Acredita-se que existam cerca de um milhão de elefantes nessas florestas no início do século XIX, mas agora existem apenas cerca de 100.000.

Estes animais pastam e pisam em árvores com menos de 30 centímetros de diâmetro - plantas que estão sujeitas a muita competição por luz, água e espaço. Fabio Berzaghi, do Laboratório de Ciências Climáticas e Ambientais de Gif-sur-Yvette, na França, e seus colegas se perguntavam se os hábitos destrutivos dos elefantes poderiam permitir que as árvores sobreviventes crescessem, eliminando a concorrência. Eles construíram um modelo matemático de diversidade de plantas e simularam o impacto dos elefantes, aumentando a mortalidade de plantas menores. O modelo mostrou que os elefantes reduzem a densidade de caules na floresta, mas aumentam o diâmetro médio das árvores e a biomassa total. No geral, elas favorecem as árvores de crescimento lento que vivem mais e armazenam mais carbono em seus troncos. “Se os elefantes promovem esses tipos de árvores, no longo prazo você armazenará mais carbono atmosférico nas árvores”, diz Berzaghi. Os resultados do modelo se encaixam com dados de locais da bacia do Congo onde vivem elefantes e áreas comparáveis ​​que não são perturbadas por elefantes. Esses efeitos também podem explicar as diferenças entre as florestas africana e amazônica. Na Amazônia, onde não há grandes herbívoros, o número de árvores por hectare é maior, mas eles tendem a ser menores e possuem menos biomassa no total. “Acreditamos que grandes herbívoros contribuíram para essas diferenças”, diz Berzaghi. Como essas árvores grandes são tão longevas, o acentuado declínio da população de elefantes nos últimos dois séculos levará um longo tempo para reformar a floresta. No entanto, o estudo estima que, no devido tempo, a perda de elefantes reduzirá a biomassa das florestas africanas em cerca de 3 gigatoneladas de carbono. Isso equivale a 14 anos de emissões de carbono do Reino Unido. "Globalmente, isso é uma contribuição para o problema, mas como é um problema complexo e é um serviço totalmente gratuito, acho que é muito importante", diz Berzaghi.

Os elefantes têm outros papéis úteis nesses ecossistemas, acrescenta ele, como a distribuição de sementes e nutrientes que ajudam as florestas a crescer mais rapidamente."

Referência do periódico: Nature Geoscience, DOI: 10.1038 / s41561-019-0395-6


38 visualizações
SOBRE NÓS

A Comunidade dos

Cientístas Livre Pensadores

Trabalhando pela divulgação e popularização da Ciência!

LOCALIZAÇÃO

(34) 

38411-212

cienciaqnf@gmail.com

CONECTE-SE
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Google+ Icon
  • Grey Instagram Icon

© Kleber Del Claro & Co. Orgulhosamente criado com Wix.com